Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Por Definir

Por Definir

27.Jul.18

Das leituras

Nestes dias sem o meu computador para ver séries ou filmes, dediquei-me à leitura. Já tinha lido críticas muito positivas acerca deste livro e decidi requisita-lo na biblioteca municipal. 

Sinopse

"Em Hoje Estarás Comigo no Paraíso, Bruno Vieira Amaral, desenha uma investigação do assassínio do primo João Jorge - morto no bairro em que ambos viviam no início dos anos 80 - e usa essa investigação como estratégia de recuperação e construção da sua própria memória: a infância, a família, o bairro e as suas personagens, Angola antes da Independência e nos anos que se lhe seguiram, e a figura (ausente) do pai.

Na reconstituição da personalidade e do percurso da vítima, da noite em que tudo aconteceu, na apropriação que o narrador faz de uma ligação com João Jorge (mais ou menos forjada pelos mecanismo da memória) - e de que faz parte essa busca mais ampla das dobras do tempo e do esquecimento - são utilizados os mais diversos materiais: arquivos da imprensa da época, arquivos judiciais, testemunhos de amigos e familiares, e a literatura, propriamente dita - como uma possibilidade de verdade, sempre".

 

Confesso que não me conquistou. Ou porque tinha as expectativas altas ou porque não adorei a história ou porque o livro é muito pesado. Não é um livro simples e envolve muita concentração e perspicácia. Não é uma leitura corrida e fluida mas sim uma espécie de puzzle que o autor constrói indo buscar memórias quer das personagens quer dos sítios. O objetivo é compreender o assassínio do primo João Jorge que aconteceu há mais de 30 anos. 

Uma pesquisa aos arquivos que documentam a sua morte e também a consulta, junto das pessoas mais próximas do primo, das memórias que têm dele e do que conheciam da sua pessoa moldam a história. Durante este trabalho de investigação o autor procura construir a sua própria identidade ou relembra-la desde a infância até ao fim da juventude. 

É bastante percetível a escrita complexa e rica de Bruno Vieira Amaral mas também a intensidade que nela deposita. Contudo, a história não me cativou e tornou-se aborrecida e cansativa.

 

Nota

Todas as imagens aqui publicadas são do Pinterest exceto se existerem indicações contrárias.

4 comentários

Comentar post